Feeds:
Posts
Comentários

aoikuwan_anodocavalo2014Aisatsu

 

Há poucos dias do Ano Novo Chinês, quando comemoraremos a entrada do Ano da Cabra de Madeira, convém lembrar os acontecimentos do Ano do Cavalo. Continuar Lendo »

cabra2015Aisatsu~

 

Dia 19 de fevereiro de 2015 celebramos o início do 4712 do calendário lunissolar chinês.

 

O calendário lunissolar chinês é formado por uma composição dos doze signos chineses e da teoria dos cinco movimentos (popularmente chamados de “cinco elementos”), perfazendo, assim, ciclos de 60 anos. Atualmente, nos encontramos no 32º ano do presente ciclo: Ano da Cabra de Madeira.

 

A Cabra compartilha com o Cavalo o Palácio do Gênero. Uma vez que o Cavalo é representante da energia Yang, a Cabra, por sua vez, é a representante da energia Yin e de suas qualidades secundárias, quais sejam, a maleabilidade, a flexibilidade e a suavidade, características essas tidas como femininas na Antiga China.

 

O ideograma chinês para Cabra também significa ovelha ou carneiro. Convém lembrar que a relação de animais e os doze ramos terrestres ocorreu centenas anos depois por estudiosos budistas como forma mnemônica, isto é, para ajudar a memorizar as características de cada ramo, comumente chamados de “signos chineses”. No entanto, o melhor animal para representar este ramo é a Cabra, como veremos a seguir.

 

Muitos astrólogos chineses de boutique vão pelo lugar comum e associam à Cabra qualidades ditas femininas, e, consequentemente, associam este ramo e seu ano a características como docilidade e subordinação. Não poderiam estar mais errados.

 

A Cabra, de fato, é um signo que representa compaixão. Evita conflitos ao máximo, e é muito diplomática. Preza muito pelas relações familiares e fraternais, comunitárias. No entanto, engana-se quem pensa que este signo é frágil e fraco: a Cabra possui chifres, e não medirá esforços para proteger aqueles que ama.

 

Assim, o Ano da Cabra será pautado por um espírito coletivo em prol da evolução da humanidade em geral. Podemos presenciar conquistas e novas descobertas na área da medicina, da farmacologia, ou de qualquer área que possa trazer melhorias para a vida da humanidade.

 

A Cabra traduz a sensibilidade de seu espírito através das artes, sendo um ano de produção tanto intelectual como artística, especialmente nas áreas da pintura e da literatura.

 

Obviamente, relações amorosas estarão em pauta neste ano. É o momento perfeito para sedimentar relações duradouras, e também para abandonar aquelas relações instáveis que mais causam dor do que felicidade.

 

Na política mundial, veremos um fortalecimento das relações diplomáticas entre os países e tentativas de minimizar os conflitos. No âmbito do nosso país, provável que o caráter pacífico da Cabra perdure por algum tempo. Caso a situação não melhore, é possível que, tomados pelo sentimento de coletividade e de proteção comunitária, vejamos novamente os movimentos ocorridos no Ano da Serpente.

 

No entanto, a Cabra precisa de liderança, caso contrário, o coletivo de dissipará em pouco tempo. Determinação e compromisso não são suas melhores qualidades.

 

O movimento Madeira confere a esta Cabra um caráter mais sério e mais focado ao trabalho, e também mais generoso em ajudar aqueles que necessitam em relação às Cabras dos outros movimentos. Será um ano de trabalho árduo para recuperar-se dos estragos financeiros do Ano do Cavalo, tanto a nível pessoal como a nível governamental.

 

Caso não vejamos melhorias no Ano da Cabra de Madeira, já é possível prever que teremos muita instabilidade, e que o Ano da Serpente foi apenas um ensaio do que poderá ocorrer no Ano do Macaco de Fogo (2016).

 

Quer saber como será o Ano da Cabra para o seu signo chinês? Curta a página para receber as notificações e aguarde as previsões no blog!

Um monge perguntou a Seigen:

“Qual é o grande significado do budismo?”

Seigen disse:

“Qual é o preço do arroz em Roryo?”

 

Contos Zen – Aoi Kuwan

Um rajá de um país do leste da Índia convidou o vigésimo sétimo patriarca budista Prajnatara para uma festa e lhe perguntou:

“Por que você não lê as escrituras?”

O patriarca disse:

“Este pobre viajante não reside no reino da matéria ao inspirar, e não se envolve no mundo das formas ao expirar. Eu sempre recito a escritura-essencial em milhões e milhões de volumes”.

 

Contos Zen – Aoi Kuwan

Quando era jovem, o então monge Ikkyu e seu irmão estavam arrumando o quarto de seu mestre, e, num acidente, o irmão quebrou a tigela da cerimônia do chá favorita do sábio professor. Ambos ficaram assustados, pois a tigela era muito estimada pelo mestre, pois foi um presente do Imperador. Entretanto, Ikkyu disse ao irmão:

“Não se preocupe. Sei como abordar a questão com nosso mestre!” Continuar Lendo »

cincomovimentoschinesesHoje finalmente juntaremos tudo o que vimos nas aulas anteriores (Yin Yang, Cinco Movimentos – Parte 1, e Cinco Movimentos – Parte 2). Para dar um breve resumo, vimos que o Yin Yang nada mais mostra do que a relação de luz e sombra formada pelo movimento do Planeta Terra ao redor do Sol, produzindo as Quatro Estações do Ano. Mas apenas o Yin e o Yang são insuficientes para nos indicar todos os padrões energéticos do mundo. Então os antigos chineses desenvolveram a Teoria dos Cinco Movimentos (Cinco Elementos). Continuar Lendo »

Há muito tempo atrás, havia um mestre que vivia junto com um grande número de discípulos em um templo arruinado.

Os discípulos sobreviviam através de esmolas e doações conseguidas numa cidade próxima. Logo, muitos deles começaram a reclamar sobre as péssimas condições em que viviam. Em resposta, o velho mestre disse um dia: “Nós devemos reformar as paredes do templo. Desde que nós somente ocupamos o nosso tempo estudando e meditando, não há tempo para que possamos trabalhar e arrecadar o dinheiro que precisamos. Assim, eu pensei numa solução simples”. Continuar Lendo »

yinyangaoikuwanNa aula anterior, vimos que os cinco movimentos (cinco elementos) chineses tiveram suas direções definidas com base no Hotu, o Diagrama do Rio Amarelo, na posição dos cinco planetas (Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno) no céu.

Também falamos sobre a origem do Yin Yang na primeira aula que iniciou esta série. Agora está na hora de colocar essas duas lições em conjunto para seguirmos para a próxima etapa. Continuar Lendo »

Certa vez, Tao-kwang, um intelectual budista e estudioso do Vijñaptimara (idealismo absoluto), aproximou-se de um mestre Zen e perguntou: “Com que atitude mental deve um indivíduo disciplinar-se para alcançar a Verdade?”

Respondeu o mestre Zen: “Não há nenhuma mente a ser disciplinada, nem qualquer verdade na qual nós devemos nos disciplinar”.

Replicou o intelectual: Continuar Lendo »

yinyangaoikuwanNa China antiga, os sábios começaram a investigar a ciência chinesa para descobrir mais e mais padrões da natureza. A astronomia é uma das grandes áreas que os chineses começaram a se aprofundar. O símbolo do Yin Yang (Taiji), que foi explicado aqui no último post, é um exemplo desses padrões na natureza que foram observados.

Mas isso não era suficiente, e os chineses continuaram suas investigações para explicar a natureza e o funcionamento dos padrões. Eles observaram os planetas e as estrelas à noite, e descobriram que os cinco planetas (Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno), orbitavam ao redor do sol, encontraram a Ursa Maior e as 28 constelações chinesas. Continuar Lendo »