Feeds:
Posts
Comentários

Quando era jovem, o então monge Ikkyu e seu irmão estavam arrumando o quarto de seu mestre, e, num acidente, o irmão quebrou a tigela da cerimônia do chá favorita do sábio professor. Ambos ficaram assustados, pois a tigela era muito estimada pelo mestre, pois foi um presente do Imperador. Entretanto, Ikkyu disse ao irmão:

“Não se preocupe. Sei como abordar a questão com nosso mestre!” Continuar Lendo »

cincomovimentoschinesesHoje finalmente juntaremos tudo o que vimos nas aulas anteriores (Yin Yang, Cinco Movimentos – Parte 1, e Cinco Movimentos – Parte 2). Para dar um breve resumo, vimos que o Yin Yang nada mais mostra do que a relação de luz e sombra formada pelo movimento do Planeta Terra ao redor do Sol, produzindo as Quatro Estações do Ano. Mas apenas o Yin e o Yang são insuficientes para nos indicar todos os padrões energéticos do mundo. Então os antigos chineses desenvolveram a Teoria dos Cinco Movimentos (Cinco Elementos). Continuar Lendo »

Há muito tempo atrás, havia um mestre que vivia junto com um grande número de discípulos em um templo arruinado.

Os discípulos sobreviviam através de esmolas e doações conseguidas numa cidade próxima. Logo, muitos deles começaram a reclamar sobre as péssimas condições em que viviam. Em resposta, o velho mestre disse um dia: “Nós devemos reformar as paredes do templo. Desde que nós somente ocupamos o nosso tempo estudando e meditando, não há tempo para que possamos trabalhar e arrecadar o dinheiro que precisamos. Assim, eu pensei numa solução simples”. Continuar Lendo »

yinyangaoikuwanNa aula anterior, vimos que os cinco movimentos (cinco elementos) chineses tiveram suas direções definidas com base no Hotu, o Diagrama do Rio Amarelo, na posição dos cinco planetas (Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno) no céu.

Também falamos sobre a origem do Yin Yang na primeira aula que iniciou esta série. Agora está na hora de colocar essas duas lições em conjunto para seguirmos para a próxima etapa. Continuar Lendo »

Certa vez, Tao-kwang, um intelectual budista e estudioso do Vijñaptimara (idealismo absoluto), aproximou-se de um mestre Zen e perguntou: “Com que atitude mental deve um indivíduo disciplinar-se para alcançar a Verdade?”

Respondeu o mestre Zen: “Não há nenhuma mente a ser disciplinada, nem qualquer verdade na qual nós devemos nos disciplinar”.

Replicou o intelectual: Continuar Lendo »

yinyangaoikuwanNa China antiga, os sábios começaram a investigar a ciência chinesa para descobrir mais e mais padrões da natureza. A astronomia é uma das grandes áreas que os chineses começaram a se aprofundar. O símbolo do Yin Yang (Taiji), que foi explicado aqui no último post, é um exemplo desses padrões na natureza que foram observados.

Mas isso não era suficiente, e os chineses continuaram suas investigações para explicar a natureza e o funcionamento dos padrões. Eles observaram os planetas e as estrelas à noite, e descobriram que os cinco planetas (Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter e Saturno), orbitavam ao redor do sol, encontraram a Ursa Maior e as 28 constelações chinesas. Continuar Lendo »

Conto Zen: Vento

Certa tarde de outono, o mestre Ikyyu vagueava pelos campos, levando consigo um a flauta de bambu. Um eremita, ao vê-lo perguntou:

- Quem és tu? Continuar Lendo »